Home
Quem somos
Nossa Missão
Vacinas
Calendários de Vacinação
Área do Médico
Nossos Diferenciais
Como chegar
Contato
Horário de Funcionamento
       


As idades e intervalos sugeridos em cada vacina são aqueles considerados ideais, podendo ser alterados de acordo com a idade no momento da primeira dose aplicada.

BCG –Protege contra tuberculose. Dose única. Pode ser aplicada ainda na maternidade ou idealmente nos primeiros 30 dias de vida. Portaria nº 1602, 17 de julho de 2006, Ministério da Saúde, suspendeu a segunda dose de reforço.

Hepatite B - Protegem contra Hepatite B. Três doses: primeira dose ao nascer, segunda  um mês após (ou aos 2 meses utilizando vacinas combinadas) e a terceira dose 5 meses após a segunda dose (aos 6 meses de idade). Nas outras idades aplicar nos momentos 0, 1 e 6 meses.

Hepatite A - Protegem contra hepatite A. Duas doses: a primeira aos 12 meses de idade e a segunda aos 18 meses. Nas outras idades 2 doses, com 6 meses de intervalo.                                                              

Tríplice bacteriana tipo infantil (DTP ou DTPa)  - Protegem contra difteria, tétano e coqueluche. Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade. E duas doses de reforço: 1º reforço entre 15-18 meses e 2 º reforço entre 4-6 anos de idade. Os eventos adversos com a DTPa (Tríplice bacteriana acelular) são menos freqüentes e menos intensos do que com a tríplice bacteriana de células inteiras (DTP).

Tríplice bacteriana do tipo adulto (dTpa)  - Protegem contra difteria, tétano e coqueluche. Apresentação para adolescentes e adultos.  O CDC liberou a  utilização a partir dos 7 anos de idade e para gestantes. Como rotina uma dose aos 14–16 anos, ou seja, 10 anos após o segundo reforço da tríplice bacteriana da infância realizado entre 4–6 anos.

Tétano - Protege contra tétano. Esquema básico de 3 doses (esquema ideal uma dose dTap e as outras duas, de preferência dT). Nos já vacinados anteriormente, reforços a cada 10 anos, antecipados para 5 anos em caso de gestação ou ferimento considerado contaminado. Utilizar preferencialmente e de acordo com a idade, as vacinas combinadas (DTP, DTPa ou dTpa).

Imunoglobulina tétano-TIG – Protege na pós-exposição de  situações de risco para o tétano. Indicada para pessoas não imunizadas ou incompletamente imunizadas contra o tétano.  1 dose, em ferimentos de alto risco de tétano, juntamente com a vacina dupla ou tríplice bacteriana adulto.

Haemophilus influenzae  tipo B - Protegem contra doenças graves causadas por esta bactéria (meningite, pneumonia e epiglotite). Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade e um reforço entre 15-18 meses de idade.

Poliomielite inativada – Protege contra paralisia infantil. Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade. E duas doses de reforço: 1º reforço entre 15-18 meses e 2º reforço entre 4-6 anos de idade. Disponível somente nas apresentações combinadas (penta ou hexa) nas clínicas privadas. Considerar nos Dias Nacionais de Vacinação o uso da vacina oral após pelo menos duas doses da vacina inativada.

Rotavírus - Protegem contra diarréia grave causada pelo rotavírus. Duas ou três doses (dependendo do laboratório produtor): aos 2 e 4 meses (GSK) ou aos 2, 4 e 6 meses (MSD).  Não se recomenda começar a vacinação contra o rotavírus depois de a criança ter completado 14 semanas ou três meses e sete dias de vida. A vacina contra o rotavírus está contra indicada para imunodeprimidos. 
 
Pneumocócica conjugada (Pneumococo 13) - Protege contra doenças causadas por 13 dos mais de 90 tipos existentes de pneumococo. Esses 13 tipos são responsáveis por 80-90% das doenças invasivas causadas por essa bactéria na infância. Principal objetivo é proteção da doença invasiva (meningite, pneumonia, septicemia), além disso, é relatado que as duas vacinas têm uma boa eficácia protetora para otite média aguda (causadas por pneumococos e na pneumo 13 também contra o Hi não tipável). Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade e um reforço entre 12-15 meses de idade. A vacina é liberada até os 6 anos de idade e também recomendada para todas as pessoas acima de 50 anos

Pneumocócica polissacarídica 23 (Pneumococo 23) - Protegem contra doenças causadas por 23 dos mais de 90 tipos existentes de pneumococo. Esses 23 tipos são responsáveis por 88% das infecções causadas por esta bactéria. Principal objetivo é proteção da doença invasiva (meningite, pneumonia, septicemia). Indicadas a partir dos 2 anos de idade em pessoas com doenças de base que predisponham à infecções pelo pneumococo. Como rotina a partir dos 65 anos de idade. Em geral utilizadas em dose única. É recomendada uma dose de reforço após 5 anos nos casos de risco.

Quadrupla Viral (MMRV) - Protege contra Sarampo, Rubéola, Caxumba e varicela. Duas doses, a primeira aos 12 meses e segunda entre 4-6 anos de idade.

Meningocócicas C conjugadas - Protegem contra o meningococo C que é uma bactéria causadora de infecções graves como meningite e meningococcemia (infecção generalizada). Duas doses no primeiro ano de vida: aos 3 e 5 meses de idade e um reforço entre 12-15 meses de idade.

Influenza (gripe)  - Protegem contra a gripe. Recomendadas a partir dos 6 meses de idade. No primeiro ano em que a criança menor de 9 anos recebe a vacina, aplicar duas doses com 4 semanas de intervalo entre elas. Posteriormente uma dose anual.

Febre amarela - Protegem contra a febre amarela. Indicada para viajantes ou habitantes de áreas endêmicas ou de transição da doença. Primeira dose aos 9 meses de idade. Reforços de 10 em 10 anos.

Varicela (catapora) – Protegem contra varicela ou catapora. Duas doses, a primeira aos 12 meses e a segunda  entre 4-6 anos de idade.

Tríplice Viral (MMR ou SRC) - Protegem contra Sarampo, Rubéola e Caxumba. Duas doses, a primeira aos 12 meses e segunda  entre 4-6 anos de idade.
 
Papilomavírus Humano - HPV – Protegem contra o papilomavírus humano. A vacina quadrivalente  protege contra os sorotipos 6, 11, 16 e 18 e a vacina bivalente contra os sorotipos 16 e 18. Três doses: intervalo de um ou dois meses entre a 1ª e 2ª dose e de quatro meses entre a 2ª e 3ª doses. As duas vacinas estão liberadas para as mulheres na faixa etária de 9 à 26 anos, preferível aplicá-las entre 11–12 anos, antes do início da atividade sexual. A vacina quadrivalente também está liberada para meninos e homens dos 9 aos 26 anos.

Raiva humana – Protegem contra a raiva, preparada em células Vero. Indicadas na pré ou pós-exposição à raiva. Esquema de doses depende do tipo de indicação.

Imunoglobulina humana standard – Protege na pós-exposição contra sarampo, rubéola e na pré e pós-exposição contra a hepatite A. 1 dose

Imunoglobulina Anti-Rh – Protege contra a isoimunização Rh.(Mãe Rh – e Pai Rh +)
Palivizumab – Anticorpo monoclonal que protege contra o vírus sincicial respiratório (VSR), um dos principais causadores de bronquiolite. Indicada principalmente para prematuros, em 5 doses, uma por mês, no período de maior ocorrência do VSR (de maio a setembro).

Febre tifóide - Protege contra a febre tifóide. Indicada a partir dos 2 anos de idade para viajantes de risco (em geral, países ou regiões menos desenvolvidas). Aplicada IM, em dose única. Reforços a cada 3 anos.

Cólera e diarréia do viajante - Protegem contra a cólera e diarréia do viajante (Escherichia coli entero toxigênica). Indicada a partir dos 2 anos de idade para viajantes de risco (em geral, países ou regiões menos desenvolvidas). Aplicada por via oral, em três doses (para crianças de 2 a 6 anos) com intervalo de 1 semana entre elas. Nos maiores, duas doses com 1 semana de intervalo. Reforços a cada 6 meses para crianças de 2 a 6 anos e nos maiores, a cada 2 anos.
 
Outras vacinas combinadas:

Hepatite A + B - Protegem contra hepatite A e B. Três doses. Nos momentos 0, 1 mês e 6 meses.

Tetravalente acelular (quatro componentes)  - Protegem contra difteria, tétano e coqueluche (vacina acelular) e haemophilus influenza do tipo B. Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade e um reforço entre 15-18 meses de idade.

Pentavalente (cinco componentes) - Protegem contra difteria, tétano e coqueluche (vacina acelular), haemophilus tipo B e poliomielite com vírus inativados. Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade e um reforço entre 15-18 meses de idade.

Hexavalente (seis componentes) - Protegem contra difteria, tétano e coqueluche (vacina acelular), haemophilus tipo B, hepatite B e poliomielite com vírus inativados. Três doses no primeiro ano de vida: aos 2, 4 e 6 meses de idade.

As vacinas combinadas devem ser adotadas sempre que possível, pois são seguras eficazes e possibilitam a diminuição no número de aplicações.

 
   
   
   
Top